.:.:. Projetos .:.:.

    Histórico - SDC - Educação & Agricultura


1. Histórico cronológico  
2. Trabalhos apresentados 
3. Atividades Agroecológicas
4. Projetos Especiais
5. Parcerias em projetos de pesquisa


Histórico cronológico

1950 – área integrante da fazenda são João Batista – atividade de cafeicultura

1950 – 1975 – a área de 45ha  é desmembrada com o nome de sitio São João  com atividade predominante em lavoura de café e criação de gado.

1975 /1984 – a área de 45ha sitio São João , é adquirida por  3 famílias  de SP que mantém atividades agrícolas com 12.000 pés de café remanescentes (até 1979) , produção de leite  e uso para atividades de lazer.

1984 – a área é desmembrada em três partes, uma delas (13ha) o Sitio Duas Cachoeiras - SDC.

1985 – inicia-se o desenvolvimento de atividades de reestruturação interna   e recuperação ambiental de 13 ha - iniciam-se as atividades de  educação extra classe, com alunos da rede escolar da região.

1986/1992  o SDC incorpora-se ao movimento internacional de “Albergues da Juventude” e implanta o 1o. Albergue Fazenda da Juventude do estado de SP  e o 2o. do Brasil com o objetivo de apoiar culturalmente o desenvolvimento de jovens estudantes , recebendo cerca de 800 jovens por ano de todo o Brasil  e de diversos paises do mundo.

- mantém concomitantemente  e sempre  aperfeiçoando as propostas de desenvolvimento de atividades de “estudo do meio”, planejadas  em  consonância com os parâmetros  curriculares

1987 -  introduz as propostas  de relacionamento  multidisciplinar e construtivista nos  temas  de “estudo do meio”  que desenvolve através dos roteiros de estudo de campo para alunos da educação infantil, ensino fundamental, ensino médio e universitário.

1989- apóia o movimento popular e organiza com a população local  o GAEA- Grupo de Ação Ecológica de Amparo, onde desenvolvem atividades de educação e conscientização  da necessidade da preservação ambiental, iniciando pelas ações locais, como a preservação da “Serra dos Feixos”, iniciando assim o processo de divulgação desta área que ainda preserva características dos ambientes naturais da região de Amparo.    Cede suas dependências para a sede desta ONG - GAEA.

- A partir de 1989, promove durante 3 anos consecutivos  a comemoração da  semana do meio ambiente” no dia 05 de junho , organizando e  realizando em conjunto com o GAEA, delegacia de ensino, com o patrocínio de empresas da cidade  e apoio da Prefeitura. Municipal: apresentações de música e teatro, exposições de arte e palestras para a rede escolar pública da cidade de Amparo

- Integra o grupo de defesa e preservação do patrimônio histórico e cultural da cidade de Amparo – “Grupo do Museu”

1990- acontece nova reordenação das atividades agrícola, ampliando-se as áreas de  reserva natural e de preservação permanente, amplia-se também as áreas de cultivo orgânico (sem o uso de agrotóxicos e adubos sintéticos) e a criação de ovelhas para  a produção de lã  utilizada na tecelagem artesanal do SDC.

- Atua em conjunto com  entidades ambientalistas da região de Campinas, Piracicaba, Americana, S. Bárbara D’oeste, Jaguariúna, Holambra , Pedreira, Águas de Lindóia, na articulação organizada deste segmento, através  da formação das APEDEMA - Assembleia Permanente em Defesa do meio Ambiente regionais.

- Participa do processo de formação e nascimento do Consorcio Intermunicipal das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí

1991- inicia um esforço concentrado na região  a difusão dos conceitos  e práticas de agricultura alternativa – agroecologia.

1992 – atua diretamente na organização  da comunidade de bairros rurais para o processo de implantação do projeto do governo do estado,  de Microbacias Hidrográficas, na micro bacia onde esta localizado, promovendo cursos, dias de campo, palestras, etc.

1993-1994- participa com seus professores dos trabalhos desenvolvidos pelo SENAR- Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, realizando cursos de processamento artesanal de lã ovina em diversas cidades do estado de SP, dispersando assim os conhecimentos obtidos nesta área de trabalho.

1995 – Em parceria  com  a “agroecológica – editora”, organiza e promove cursos de capacitação nas diversas áreas de aplicação da “Agricultura Ecológica”: Conservação do solo; cultivo sem adubos sintéticos ou agrotóxicos; energias alternativas; processamento de produtos; agrofloresta; etc.

-         Colabora no conselho editorial do “Boletim Agroecológico”, atualmente a revista “Agroecologia Hoje”.

-  mantém, também, paralelo a esta atuação sócio-cultural , o desenvolvimento  das atividades agrícolas com bases agroecológicas e ampliando  e praticando  os conceitos de preservação ambiental

1996- aplica-se maior empenho no cultivo de girassol das variedades com maior teor de óleo, para extração de óleo prensado a frio para uso culinário, medicinal e combustível;

1996- inicia os estudos para o desenvolvimento e aplicação  de áreas de cultivo de Sistemas    Agroflorestais dentro  da área do SDC.

-Desenvolve  um projeto  educacional específico, anual , com atividades interdisciplinares com as disciplinas de ciências, artes, história e geografia, junto com a  escola Kriarthe – SP,  durante 3 anos  

1997- Promove junto com o IAC- Instituto Agronômico de Campinas/ Departamento de Oleaginosas, ITAL/Instituto de Tecnologia de Alimentos/ Setor de óleos e CATI –Campinas, “dias de campo” para a divulgação do plantio de girassol e extração de seu óleo prensado a frio.  

1998 – incorpora-se ao SDC 14ha  de terras vizinhas, possibilitando  a preservação das cabeceiras de formação de nascentes que fornecem água potável  ao SDC;

-      -   forma-se uma parceria  com vizinhos permitindo o cultivo de mais 10ha incorporados nos conceitos de agroecologia.

         - Neste ano fica em maior evidencia, os conceitos de interdisciplinaridade, transdisciplinaridade, educação ambiental, ecologia, desenvolvidos pelo SDC há 12 anos, com a mudança da LDB com a inclusão nos PCNs , o estudo de temas transversais;

-      Entra em atividade “on-line” na Internet, o site  do SDC – Educação e Agricultura, com  o objetivo de apoiar o estudo através de seu banco de dados, e estimular a troca de informações entre os alunos  e professores participantes dos trabalhos pedagógicos de campo. -  -Recebe do  site  organizado pela Escola Net, o “Selo – Pagina Nota 10”, de reconhecimento  pela proposta educacional desenvolvida no site do SDC na Internet.

-      Apóia e participa  do Projeto de pesquisa  “Educação Agroambiental Rumo ao Desenvolvimento Rural Sustentável”  , desenvolvido pela  unidade da EMBRAPA Meio Ambiente, durante os 3 anos seguintes, com professores da rede publica das diretorias de ensino de Campinas e região.

  1999 – Participa do concurso “O Desafio de Ensinar Ciências no Século XXI”, com o projeto SDC/ Kriarthe,  promovido pela “Estação Ciência- USP”,  onde se classifica e recebe o premio de 1o. lugar  entre os inscritos de todo Brasil.

2001 – Participa  do concurso promovido pelo consórcio  Intermunicipal  das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí , e ganha o premio “Ação pela Água - 2001” dos melhores projetos de educação ambiental, na categoria ONG.

2002 – Incorpora-se em sua equipe de profissionais  biólogos, agrônomos, veterinários, engenheiros, pedagoga e editor gráfico .

       -  Atualmente  o SDC esta desenvolvendo projetos de:

o       Educação Ambiental;

o       Educação Interdisciplinar e transdisciplinar;

o       Implantação de sistemas de cultivo Agroflorestais;

o       Ampliação de áreas de cultivo agroecológicos;

o       Desenvolvimento de cursos de capacitação em educação e agricultura;

o       Ampliação de áreas de preservação  e aumento da biodiversidade;

o       Desenvolvimento e produção de material didático em educação ambiental e agricultura.  

2002 - Desenvolvimento sustentável e balanço emergético é o trabalho desenvolvido desde 2000 com o LEIA-Laboratório de Engenharia Ecológica e Informática Aplicada da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp, que neste ano reuniu a maioria dos dados referentes ao projeto do SDC, para concluir os cálculos  dos indicadores de sustentabilidade, renovabilidade, investimento, rentabilidade, carga ambiental, entre outros.

- As atividades pedagógicas de estudos do meio ambiente continuam e novos roteiros de estudo são reformulados e incorporados - " A Vida das Águas" , " Jogos Cooperativos", " As Fontes de Energia e a Natureza", " Teatro- Interpretando a Natureza", inicio da produção de um vídeo-arte SDC em parceria com a revista Gi-biológica.

- A "tecelagem artesanal" do sitio começa a participar da  feira de artesanato da cidade com a exposição de seus produtos feitos artesanalmente, desde a matéria-prima até o produto final. Com isso procura apoiar iniciativas de incentivo a cultura e a arte.

2003 - Conclusão da primeira fase dos cálculos dos índices de desenvolvimento sustentável através de análise emergética, pelo LEIA-Laboratório de Engenharia Ecológica e Informática Aplicada da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp, que apresentou estes resultados no Museu Dinâmico de Campinas, com resultados parciais de 66% de renovabilidade com baixo índice de investimento (projetos agrícolas convencionais chegam a 6%)

- O SDC - Educação & Agricultura apóia e passa a integrar o projeto do CITEC, da Sec. Municipal de Cultura e turismo, de valorização e divulgação das fazendas históricas da região .

 


Informações Complementares

Atividades Educacionais – Trabalhos apresentados:

·             Educação Ambiental em Propriedade Rural – IAC/2000 – apresentando e publicado nos Anais do II Encontro sobre Educação Ambiental na Agricultura no Instituto agronômico de Campinas em setembro de 2000

·              Educação e Agricultura – IAC/2001 - apresentando e publicado nos Anais do III Encontro sobre Educação Ambiental na Agricultura no Instituto agronômico de Campinas em setembro de 2001

·              SDC/GAEA – Projeto de Educação Ambiental - Concurso Ação pela Água 2001 / Consorcio Intermunicipal das bacias dos rios Piracicaba Capivari e Jundiaí –2001 (texto em anexo)

·              Século XX   e XXI –  artigo publicado no web site Esquina da Web  em maio de2002

·              Painel de apresentação do Projeto Sítio Duas Cachoeiras – Educação e Agricultura – II CONEDA – Congresso Nacional de Estudantes de Direito Ambiental – Jundiaí, julho/2002

-        Projeto Educação e Agricultura - Aprendendo a Aprender -Apresentado e publicado no I Simpósio sul Brasileiro de Educação Ambiental  - II Simpósio Gaúcho de educação Ambiental -SIGEA e XIV Semana alto Uruguai do Meio Ambiente  -  2002


 

 Atividades Agroecológicas – projetos  sócio-ambientais:

  ·        Desenvolvimento de cultivo orgânico ou agroecológico em todos os setores agrícolas, com aumento das   relações de  troca e parcerias para a aplicação de mão de obra específica ;

·        Implantação de Sistemas Agroflorestais como forma de viabilizar o aumento de áreas de preservação de biodiversidade e a relação do homem com a terra;

·        Processamento, através de energias alternativas, de grãos, frutas, hortaliças, ervas medicinais, óleo de girassol ( Energia Solar térmica e elétrica , Hidroelétrica, mecânica);

·        Ampliação das atividades de apicultura, para aumentar os processos de polinização das áreas de preservação e agrícolas, com abelhas indígenas ( melíponas) e apis;

·        Manutenção e ampliação das áreas de preservação de mananciais, nascentes e rios internos;

·        Reflorestamento  de encostas;

·        Criação de animais domésticos, para integração nos sistemas agroecológicos de produção do organismo agrícola . Ovelhas, cavalos, aves, para produção e processamento de lã , força de trabalho e esterco para compostagem;

·        Preservação de animais silvestres, através da ampliação das áreas de reserva. Tem sido observada nos últimos anos a presença de aves silvestres, mamíferos e insetos, pela maior disponibilidade de abrigo e alimento nestas áreas;

·        Implantação de sistemas de geração de energia alternativa e de fontes renováveis e não poluentes; 


Projetos Especiais

 

O Sítio Duas Cachoeiras - Educação e Agricultura,  se abre como área experimental para:

1. Aplicação de Análise Emergética de sistemas de produção agrícola, desenvolvido pelo LEIA/Unicamp- Laboratório de Ecologia e Informática Aplicada da Faculdade de Engenharia de Alimentos;

2.Aplicação pratica de desenvolvimento de sistemas Agroflorestais;

3.Remineralização do Solo, através de pós de rochas e outros produtos minerais naturais;

4.A influencia no desenvolvimento vegetal, com aplicação de ondas sonoras e luminosas, através da música e cores; e das observações de cosmobotânica;

5.Desenvolvimento e produção de Recursos e Material Didático para aplicação na Educação Ambiental e Interdisciplinar: Apostilas Temáticas, Materiais de pesquisa de campo e Revista Gibiológica.


Parcerias em trabalhos e projetos de pesquisa, com o Sítio Duas Cachoeiras - Educação e Agricultura

   UNICAMP – FEA -  Faculdade de Engenharia de Alimentos – LEIA – Laboratório de Ecologia e Informática Aplicada -  Pesquisa em sistemas de produção agroecológica e  sua  Sustentabilidade Econômica, Social e Ambiental. Utilizando para isto a metodologia de Análise Emergética de Sistemas

    – FEA– Faculdade de Engenharia de Alimentos – LEIA – Laboratório de Ecologia e Informática Aplicada Desenvolve em conjunto com o LEIA- com o direção do Prof. Dr. Enrique Ortega um projeto de pesquisa  de  Certificação  de Produção de Alimentos usando  Análise Emergética.

       EMBRAPA   Unidade Meio Ambiente -:Desenvolver um Método de avaliação da sustentabilidade do sistema de produção orgânica de hortaliças e do agroturismo em estabelecimentos familiares rurais -APOIA- Novo Rural- liderado pelo Dr. Clayton Campanhola da Embrapa Meio Ambiente, cuja responsabilidade da agricultura orgânica no projeto é de Pedro José Valarini  Eng Agrº e Pesquisador Embrapa Meio Ambiente  que pretende obter um índice de sustentabilidade de cada estabelecimento como um todo e, também, detectar possíveis pontos de estrangulamento do sistema adotado, ou seja, as práticas agrícolas ou não agrícolas que estão interferindo negativamente na sustentabilidade da propriedade(agricultura orgânica) ou do estabelecimento como um todo (agricultura orgânica, agroturismo, ou ambos). Avaliando a qualidade do solo (análises química, física e biológica) em função do manejo adotado. Posteriormente, o método será disponibilizado ao produtor para que ele monitore seu estabelecimento. Esse projeto conta com diversas parcerias, entre as quais, do Estado de São Paulo: o produtor, a UNICAMP, IAC, ASTUR, AAO.
 

     EMBRAPA – Unidade Meio AmbienteEducação Ambiental: participa junto a unidade da Embrapa do  Projeto de pesquisa  “Educação Agroambiental rumo ao Desenvolvimento Rural Sustentável”  , desenvolvido pela  unidade da EMBRAPA Meio Ambiente, durante 3 anos, com professores da rede publica das diretorias de ensino de Campinas e região

     .OCA - Laboratório de Educação e Política Ambiental – ESALQ - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Universidade de São Paulo (USP): O SDC participa como entidade parceira no desenvolvimento  do o projeto Biota-Educação – Biodiversidade, Sustentabilidade e Educação Ambiental no Estado de São Paulo , que faz parte do Programa BIOTA-FAPESP

   
 

Informações sobre os períodos de desenvolvimento de atividades envie e-mail para: sitio@sitioduascachoeiras.com.br


____________________________________________________________
SDC - Sítio Duas Cachoeiras. Todos os direitos reservados.